Coleção Clássica

DIAMANTE

Do grego Adamas, que significa o inconquistável, o carbono puro foi cristalizado pela natureza há bilhões de anos atrás em profundidades e temperaturas só encontradas a 200 Quilômetros abaixo da superfície da terra, ainda no manto superior. Trazidos para fora através de explosões e erupções internas ocorridas em várias partes do mundo.

A esmeralda é a mais nobre gema da família dos berílos. Na lista das mais valiosas, integra o seleto grupo de elite das 4 pedras conhecidas como as mais preciosas, juntamente com os diamantes, safiras e rubis.
As principais e mais famosas estão na Colômbia, mas as esmeraldas brasileiras encantam o mundo pela sua cor e transparência.

Descoberta na década de 1980, no estado do Nordeste que lhe confere o nome, mais precisamente em São José da Batalha. A gema é encontrada em apenas cinco minas ao redor do planeta, sendo três delas no Brasil, de onde vêm os exemplares mais valiosos e as outras duas na África.
A produção, entretanto, é muito escassa, quase extinta, tornando-a cada vez mais cara e cobiçada, sendo meros 20 mil quilates por ano, contra 480 milhões dos diamantes.

De um azul-safira profundo, ainda revela tons de roxo, o que lhe confere uma personalidade única, e faz dessa raridade, descoberta nos anos 60, nos montes Mererani e Kilimandjaro, no norte da Tanzânia, em uma das pedras mais cobiçadas das últimas décadas.
Seu nome foi escolhido pela Tiffany & Co, que a batizou e acompanhou seu desenvolvimento até que ela se transformasse em uma gema especial entre as mais especiais.

Os diamantes conhecidos como Fancy Yellow possuem essa coloração devido à presença de nitrogênio na sua composição.
O GIA (Gemological Institute of America) utiliza a escala de letras de D a Z , para definir a cor de um diamante, sendo o D o mais incolor possível, e o Z o mais amarelado (ou champanhe).
O raro Fancy Yellow, de um amarelo bem definido, só aparece depois da letra Z, e além de ganhar a cor, passa a ser mais raro e mais caro.

À primeira vista é difícil de compreender que safiras e rubis se tratam da mesma espécie mineral: os corínduns, que são compostos por óxido de alumínio.
Cada vez mais raros, beiram à extinção.O Rubi é a variedade avermelhada, e esta cor se dá pela presença do cromo, enquanto a safira ocorre nas demais cores: azul, verde, amarelo, alaranjado, marrom, rosa e púrpura.
A Safira azul, a mais conhecida, deve sua cor à presença do ferro e titânio.